Bull Terrier

Bull Terrier: o cão gladiador

De fofinho ele não tem muito (ou parece não ter!). Mas, apesar da cara estranha, sua personalidade é apaixonante. O Bull Terrier, também conhecido como “cão gladiador”, era um cachorro de rinha há alguns séculos. Mas, com as transformações sofridas pela raça, ele se transformou em um excelente cão de companhia. O Bull Terrier não é apenas um animal fiel aos donos, como muito dócil e adorável com toda a família.

Esse esquisito cachorro costuma ganhar o coração dos donos com sua disposição e energia. Sempre pronto para a próxima aventura, o Bull Terrier é a raça ideal para quem gosta de esportes e tem pulso firme para lidar com a sua teimosia.

Ficha técnica: Bull Terrier

Altura: 53 a 55 cm
Peso: 20 a 29 kg
Expectativa de vida: 12 a 16 anos
Melhor para: Famílias com crianças, solteiros e idosos ativos, apartamentos, casas com / sem quintal
Temperamento: Independente, enérgico, carinhoso
Raças comparáveis: Buldogue francês, Bullmastiff

De onde veio o Bull Terrier?

Há registros de que os primeiros exemplares da raça surgiram por volta de 1835. O Bull Terrier é resultado de um cruzamento entre o Buldogue e o extinto Terrier Inglês Branco. Os primeiros exemplares, posteriormente, também foram cruzados com raças maiores, até que o Bull Terrier atingisse o tamanho mediano.

O Bull Terrier ficou conhecido como “cão gladiador” pois era usado em rinha de cães. Hoje, contudo, ele é apenas um cão de companhia. Por volta de 1860, um dos fãs da raça conhecido como James Hinks se propôs a criar um animal que fosse completamente branco. Foi assim que surgiu a versão mais conhecida do Bull Terrier nos dias de hoje, embora existam exemplares da raça com pelagem de cor.

Já no final do século XIX, os Bull Terriers já não eram mais utilizados para brigas e se transformaram em cães de companhia. Em 1885, o animal foi oficialmente reconhecido como raça pelo American Kennel Club. O Bull Terrier colorido foi transformado em uma variedade separada da raça em 1936, e o Bull Terrier Miniatura se tornou uma raça alternativa em 1992.

Quais são as características físicas de um Bull Terrier?

O Bull Terrier definitivamente é um cão estranho! Sua cabeça é relativamente desproporcional para o seu corpo, a cauda é longa e ele é considerado um cão de médio porte. A pelagem curta e o corpo musculoso também são características marcantes da raça, além de claro, os olhos triangulares que são únicos!

Qual a personalidade do Bull Terrier?

Apesar da carinha de poucos amigos, o Bull Terrier é um cão bastante extrovertido e muito amigável com outros humanos. Ele está sempre cheio de disposição e adora brincar. Essa raça é conhecida por ser corajosa e com muita energia!

Porém, o Bull Terrier não é indicado para donos inexperientes. Eles precisam de donos com o pulso firme, consistência e uma dose extra de paciência. Para quem não tem experiência com cães, o ele pode ser um pouco teimoso e excessivamente independente. O treinamento também é importante para que não desenvolva comportamentos destrutivos, especialmente quando fica sozinho ou é contrariado.

Esses cães apreciam bastante a companhia e não gostam muito da solidão. Assim, se você não tem muito tempo para ficar com seu amigão, talvez essa não seja a melhor raça para você. O Bull Terrier é do tipo de cão que gosta de participar das atividades da família e quer sempre estar por perto.

O Bull Terrier se dá bem com crianças e outros pets?

Para quem tem crianças pequenas, essa não é a raça mais indicada também. Para crianças maiores, contudo, ele pode ser um ótimo companheiro, já que é muito ativo e adora brincar.

O Bull Terrier, assim como outras raças bull, são cães de briga. Por isso, eles não costumam se dar muito bem com outros pets. Para evitar que o ele desenvolva um comportamento agressivo, é essencial socializá-lo com outros cães desde cedo. Assim como o treinamento, a socialização precisa ser feita desde filhote.

Quais são as cores do Bull Terrier?

A pelagem do Bull Terrier é curta, lisa e brilhante, com uma textura mais dura. Eles podem ser brancos ou coloridos. Cães desta raça podem ser inteiramente brancos ou ter algumas manchas pelo corpo. Os coloridos, por sua vez, são de qualquer cor que não branca.

Como cuidar de um Bull Terrier?

Os Bull Terriers são muito fáceis de cuidar. Eles precisam apenas de escovação semanal com uma luva de borracha ou uma escova macia. Na época de troca de pelo, as escovações precisam ser duas vezes ao dia, para manter a pelagem brilhante e sadia. Os Bull Terriers não precisam de banhos frequentes e podem ser lavados com um xampu seco ou limpos com um pano úmido. Outras necessidades de higiene incluem higiene dental e cuidados com as unhas, que são os mesmos de outras raças.

Os Bull Terriers geralmente são saudáveis, mas, como qualquer raça, podem ter problemas de saúde. Abaixo vamos explicar melhor quais são os problemas que podem ser mais comuns entre a raça.

O primeiro deles é a nefrite hereditária, uma forma grave de doença renal encontrada em Bull Terriers, geralmente quando filhote. A doença é causada em razão de rins pequenos e subdesenvolvidos ou um mau funcionamento dos filtros renais, resultando em altos níveis de proteína na urina. Os Bull Terriers com essa doença geralmente morrem antes dos três anos de idade, embora alguns tenham seis ou oito anos antes de sucumbir à insuficiência renal. Para evitar esse tipo de problema, recomenda-se fazer um exame de urina a partir dos 18 meses de idade.

A surdez é comum no Bull Terrier branco e em alguns coloridos. Todos os filhotes da raça devem ser submetidos ao teste BAER (resposta auditiva evocada auditiva do tronco cerebral) para garantir que sua audição seja normal. Os Bull Terriers que são surdos de um ouvido podem levar uma vida relativamente normal, mas os filhotes que perdem totalmente a audição requerem técnicas e tratamento especiais.

As doenças cardíacas causadas por defeitos na estrutura e função do coração são encontradas ocasionalmente nos Bull Terriers. Alguns casos são mais graves que outros e, geralmente, são indicados pela presença de um sopro cardíaco. Em alguns casos, pode ser necessário um ultrassom cardíaco (ecocardiograma) para diagnosticar o problema. Dependendo da condição e do estágio em que é diagnosticado, o tratamento pode variar de medicação a cirurgia.

Os problemas de pele podem afetar os Bull Terriers, especialmente os brancos, que possuem pele mais sensível. Erupções cutâneas, feridas e irritações não são incomuns na raça. Eles também podem ser propensos a alergias por contato ou inalantes, causadas por uma reação a substâncias como detergentes ou outros produtos químicos ou alérgenos no ar, como pólen, poeira e mofo.

Girar de uma forma obsessiva perseguindo a própria cauda também é um problema. Geralmente ele começa por volta dos seis meses de idade. Nos casos mais graves, o cão pode ficar por horas girando e até perder o interesse em comida ou água. Em casos assim, é preciso tratamento com medicamentos.

Por fim, a luxação da lente também é um problema comum da raça. Às vezes é tratável com medicação ou cirurgia, mas em casos graves o olho pode precisar ser removido.

Nível de atividade física

Se você não é do tipo de pessoa que gosta muito de atividades físicas, o Bull Terrier talvez não seja a raça ideal para você. Eles são cães que têm muita energia e gostam de brincadeiras com intensidade. Por isso, é essencial se manter ativo, com alguns passeios longos e brincadeiras com bolinhas e frisbees que podem deixar seu cão muito feliz!

Quanto tempo vive um Bull Terrier?

Bull Terriers são cães de vida longa. A expectativa de vida de um animal saudável varia entre 12 a 16 anos.

Curiosidades

Existem algumas curiosidades relacionadas ao Bull Terrier. Confira as principais:

  • O Bull Terrier é a única raça de cachorro que possui olhos com formato de triângulo.
  • A raça ficou famosa na década de 80 depois da cervejaria Budweiser usar um Bull Terrier em seus comerciais. Spuds Mackenzie, como era chamado, fez as vendas da raça aumentarem na época.
  • Um conhecido Bull Terrier é Patsy Ann, que cumprimentou cada navio que atracou em Juneau, no Alasca, durante os anos 30. Amada por turistas, ela foi fotografada com mais frequência do que Rin Tin Tin e, em 1934, foi nomeada cumprimentadora oficial de Juneau. Hoje, o espírito de Patsy Ann vive em uma estátua de bronze que foi encomendada e colocada no cais de Juneau em 1992.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *